Coletivo Tem Sentimento
Coletivo Tem Sentimento

Coletivo Tem Sentimento
Coletivo Tem Sentimento

Coletivo Tem Sentimento
Coletivo Tem Sentimento

Coletivo Tem Sentimento
Coletivo Tem Sentimento

1/4

projeto social apoiado

Cor_positivo_edited.jpg
  • Instagram

O Coletivo Tem Sentimento foi criado por Carmen Lopes em 2016 e iniciou-se através de ações e oficinas de autocuidado para a população em situação de rua e, desde então, vem fazendo um trabalho que reconhece e considera todas as complexidades que envolvem as vulnerabilidades de quem vive na rua, especificamente na região da Cracolândia. Em uma situação em que pessoas não possuem condições sociais básicas de sobrevivência, como moradia, saúde, alimentação e higiene, o Coletivo Tem Sentimento vem desenvolvendo um processo em que o olhar para essas vulnerabilidades que são múltiplas e complexas possam ir além do suprimento dessas necessidades básicas e passem a permear formas possíveis de práticas de autocuidado e de autonomia entre essas pessoas.

Atualmente o coletivo desenvolve um projeto de geração de renda com e para mulheres cis e trans que vivem nos arredores da Cracolândia através de uma oficina de moda que hoje se encontra no Teatro de Conteiner. As mulheres integrantes do coletivo produzem e são remuneradas para que a partir de um processo de autonomia financeira, possam ter condições de tomar as escolhas e caminhos que elas decidirem. Essas mesmas mulheres atendidas também cumprem um papel de atender outras pessoas, com outras vulnerabilidades, dentro das ações sociais que o Coletivo tem desenvolvido ao longo da pandemia, como na entrega de marmitas, de kits de higiene, de máscaras ou de alimentos.

O Coletivo Tem Sentimento é fundamentado pela pluralidade de sentimentos que envolvem a nossa relação com o mundo, com o outro, com a rua e com nós mesmos, considerando a raiva, a revolta, a saudade do que não se tem e também, quase que principalmente, o amor.